Pesquisar

terça-feira, 20 de maio de 2014

Quaresma nunca foi a mundiais, já falhou 4!



Paulo Bento deixa o extremo na lista de reservas; há doze anos, António Oliveira tinha o seu nome num papel com 24. Ricardo Quaresma está na lista de reservas de Paulo Bento para o Campeonato do Mundo de 2014. Se nada mudar, o extremo irá falhar o seu quarto mundial, um registo impressionante com várias polémicas pelo caminho.
O atual jogador do FC Porto contabiliza 35 internacionalizações pela seleção AA, num percurso iniciado há mais de uma década. Pelo meio, participou na fase final de dois Europeus, mas ficou sempre à margem dos Mundiais.
Curiosamente – faz sentido recuperar agora essa história – a melhor hipótese foi mesmo em 2002, na reta final da sua primeira temporada na equipa principal do Sporting.
Nessa altura, Ricardo Quaresma tinha apenas 18 anos. Porém, o selecionador António Oliveira equacionou o seu nome e chegou a escrevê-lo numa lista de 24 que pretendia apresentar à comunicação social.
António Boronha, à época vice-presidente da Federação, relata o episódio em conversa com o Maisfutebol.

«Como se sabe, a divulgação daquela convocatória foi complexa. Entre as 12h10 e 12h15 daquele dia, no hotel Altis, o selecionador lá entregou uma folha de papel com 24 nomes. Ainda faltava mais de uma semana para o envio da lista oficial para a FIFA.»

O selecionador António Oliveira temia uma lesão de Luís Figo. Por isso, a sua lista tinha mais um nome que o previsível. Os elementos da Federação consideraram que não fazia sentido apresentar à imprensa 24 jogadores, já que haveria tempo para mudanças se tal fosse necessário.

«À pressa, aquilo foi impresso numa folha para apresentar à imprensa, mas explicámos ao selecionador que teria de riscar um nome. Ele lá disse para tirar o Quaresma. E pronto, foi a primeira vez que o Quaresma falhou um Mundial.».

Semanas mais tarde, quando Kenedy acusou doping, circulou a informação de que Quaresma voltaria a ser equacionado. Porém, o eleito foi Hugo Viana. Aí, António Boronha garante que o processo foi claro.

«Quando teve de substituir Kenedy, António Oliveira falou logo no Hugo Viana.» 

Hugo Viana é da mesma geração que Ricardo Quaresma, jogador que tinha os dois golos na final do Campeonato da Europa de sub-16 em 2000, frente à República Checa, em Israel (2-1).

«Foi nesse Europeu que o conheci, era um fenómeno e claro, já tinha uma personalidade forte. Mas digo-lhe, desta vez estava convencido que ele seria chamado. Pode dizer-se que o Quaresma é vítima das circunstâncias, admitindo que ele também tem moldado essas circunstâncias. Neste grupo de Paulo Bento, sobressai a estabilidade do grupo e o selecionador quererá reduzir ao mínimo o risco de perturbações. Quaresma é um abre-latas, não há dúvidas, mas Bento terá duvidado se o abre-latas funcionaria quando fosse preciso.»

«Talvez Scolari me conheça pouco como pessoa»

Ricardo Quaresma rumou a Barcelona em 2003 mas falhou o Campeonato da Europa do ano seguinte devido a lesão.

Entretanto, regressou a Portugal para vestir a camisola do FC Porto. Em vésperas do Mundial de 2006, os dragões conquistam a Supertaça, o Campeonato e a Taça. Para além disso, o Clube Nacional de Imprensa Desportiva elege Quaresma como o futebolista português do ano.

Luiz Felipe Scolari, porém, utiliza o extremo em apenas um jogo de apuramento e, na hora da decisão, prefere deixar Quaresma na seleção sub-21, que preparava a participação no Campeonato da Europa em solo nacional.  

O antigo selecionador de Portugal tinha Luís Figo, Simão Sabrosa e Cristiano Ronaldo à disposição. Mesmo assim, a ausência de Quaresma levantou dúvidas. Até no próprio. Em entrevista ao Maisfutebol, a 30 de maio de 2006, o jogador dizia o seguinte:

«Scolari? Como pessoa talvez me conheça pouco. Como jogador conhece-me muito. Já demonstrei muita coisa e considero-me um homem. Nunca vim para os jornais criticar ninguém, nunca atribuí culpas aos outros, sempre assumi responsabilidades e por isso considero-me um grande profissional e um grande homem.»

Após o Mundial da Alemanha, Scolari abriu uma porta para Ricardo Quaresma e o extremo respondeu com bons apontamentos. A 24 de março de 2007, em Alvalade, o jogador marcou um golo que perdura na memória coletiva.
Seguiu-se a transferência para o Inter de Milão e a presença na fase final do Campeonato da Europa de 2008. Na prova, Quaresma faz dois jogos, um deles como titular. Frente à Rep. Checa, entra ao minuto 80 e fecha a contagem.

Novo Mundial, desta vez na África do Sul, e mais uma oportunidade falhada para Ricardo Quaresma. Chega ao Verão de 2010 após uma época em que realizou apenas 13 jogos pelo Inter, 11 dos quais como suplente utilizado.

Carlos Queiroz começou por divulgar uma lista com cinquenta jogadores pré-convocados e o nome do extremo está lá. Porém, cai quando o grupo é reduzido a 24 nomes (Zé Castro era a retaguarda para Pepe, que recuperava de lesão). 
A saga de Quaresma continuava: três mundiais e nada.

Em 2012, após uma boa temporada no Besiktas, o extremo entra no leque de opções de Paulo Bento para o Campeonato da Europa na Polónia e Ucrânia. Porém, em cinco jogos da seleção, não sai do banco. Nessa altura, o selecionador terá ficado agastado com a postura de Quaresma durante os treinos. 

Ricardo Quaresma viria a rumar ao Al Ahli dos Emirados Árabes Unidos, afastando-se do radar da seleção. Porém, após um longo período sem competição, regressou ao FC Porto em janeiro de 2014 e voltou a sonhar com o Mundial. Seria desta?

A lista de 30 pré-convocados aumentava a expectativa do jogador. «Obviamente, estou feliz por estar nas contas do treinador», dizia Quaresma, na passada semana.

Nesta segunda-feira, Paulo Bento divulgou as escolhas finais. Sem Ricardo Quaresma.

«Há que aceitar as criticas. Se for criticado por o meter nos trinta e agora o ter tirado, imaginem se não o tivesse posto nos trinta (...) Nani tem características diferentes de Quaresma. O Quaresma esteve sem competir e ao fim de dois meses toda a gente achou que era convocável. Porque é que o mesmo não pode acontecer agora com Nani? Os 23 são os que acho que melhor servem os interesses da seleção nacional»


Quaresma tem agora 30 anos (celebra o 31º aniversário em setembro). Se nada mudar, corre o sério risco de terminar a carreira sem disputar um Campeonato do Mundo. 
 
Quaresma vs Vieirinha
 
Ricardo Quaresma fica em terra, Vieirinha estará no Mundial do Brasil. Mais do que questionar a opção de Paulo Bento, esta peça serve para comparar o que cada um deles foi capaz de fazer esta temporada.
Curiosamente, o melhor período de Quaresma [entre janeiro e maio, já no FC Porto] coincide com grande parte da fase de afastamento de Vieirinha.
O extremo do Wolfsburgo lesionou-se gravemente a 24 de setembro de 2013 e só voltou aos relvados a 12 de abril de 2014.
Antes disso, porém, Vieirinha estava a consolidar-se no seu clube e na própria Seleção Nacional. Foi, de resto, titular na difícil vitória na Irlanda do Norte [6 de setembro de 2013] e no amigável diante do Brasil [10 de setembro].
Vieirinha totaliza, nesta altura, 6 internacionalizações.
Após recuperar da lesão, participou em seis partidas oficiais, apenas uma como titular.
Ricardo Quaresma tem 35 jogos ao serviço da Seleção Nacional. Não representa o país desde o último amigável antes do Euro2012.  Na liga portuguesa fez apenas uma assistência para golo em 12 presenças.

A temporada de Quaresma e Vieirinha em 2013/14:

JOGOS OFICIAIS

Quaresma: 24 jogos
Vieirinha: 16 jogos [2 pela seleção]

GOLOS:

Quaresma: 9
Vieirinha: 1

MINUTOS DE COMPETIÇÃO

Quaresma: 1643 minutos
Vieirinha: 946 minutos [150 pela seleção]
 

1 comentário:

i7x disse...

Vergonha,Quaresma merece 10mil vezes
mais que Nani e Vieirinha...