Pesquisar

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Quaresma: “Senti que não era bem-vindo no FC Porto e resolvi a minha vida”




Após uma época em que marcou dez golos em 41 jogos oficiais, Ricardo Quaresma saiu do FC Porto e regressou à Liga turca para representar o Besiktas. O extremo, agora com 31 anos, revela que não se sentiu desejado no Dragão e, com a fase de qualificação para o Europeu à porta, não hesitou por um segundo quando recebeu o convite do clube de Istambul.
“Sou uma pessoa que gosta de jogar sempre, sinto que ainda tenho condições para jogar. Iria ser a terceira ou a quarta opção e, em ano de Europeu, tens de pensar na tua vida. Senti que não era bem-vindo ao plantel e resolvi a minha vida. Prefiro não estar a voltar ao passado, o meu amor pelo clube vai ficar para sempre. Custou-me passar por algumas coisas, mas mais vale não comentar. Muita coisa se passou”, frisou o internacional português em entrevista à TSF.
Na época passada, no final do clássico entre Benfica e FC Porto, que terminou empatado a zero, Ricardo Quaresma e Jorge Jesus, na altura treinador dos "encarnados", deram um forte abraço ainda no terreno. Gesto que não terá caído bem nas hostes dos "azuis e brancos". O extremo falou sobre o tema.
“As pessoas quiseram tapar muita coisa com esse abraço. Não me preocupou. É uma pessoa que admiro e respeito, sempre me tratou bem e esteja onde estiver merecerá sempre o meu abraço. É uma pessoa que admiro, sempre admirei muito o trabalho dele. Dou-me bem com ele, o futebol dá muitas voltas mas neste momento estou bem onde estou”, rebobinou o mustang, que após a chegada de Fernando Santos passou a ser escolha habitual entre os convocados da selecção nacional.
“É um treinador muito experiente, sabe exactamente o que pretende da equipa. Qualquer jogador que esteja na selecção sabe que, trabalhando bem, pode ter a sua oportunidade. Coisa que se calhar há um tempo atrás não era bem assim”, afirmou.
A culminar a entrevista, Quaresma falou sobre o amigo Cristiano Ronaldo e Bernardo Silva, nova coqueluche do futebol nacional.
“Há coisas que cada vez entendo menos no futebol... Como é que há pessoas com coragem de criticar Cristiano depois de tudo o que tem feito no futebol? É dos jogadores que mais admiro em termos psicológicos, nunca vi ninguém tão forte como o Cris. Todos os anos disputa a Bola de Ouro, acaba as épocas com 50/60 golos... O que é que se pode pedir mais a um jogador destes? Por vezes são muito injustos com Cristiano, mas isso dá-lhe força para continuar”, questionou, elogiando de seguida o camisola dez do Mónaco, Bernardo Silva.
“Tem muita qualidade e um talento enorme. É jovem, tem ainda muita coisa para fazer. Vai ser o futuro da selecção portuguesa e do nosso futebol. Melhor da Europa? Depende dele, o talento está lá. Nascemos com o talento, depois aproveitamos ou não”, frisou o internacional luso, que revelou que irá continuar a jogar enquanto “ar pernas” assim o permitirem.

Sem comentários: